Meu Filho está Com Anemia – O Que Fazer?

Publicado em 5 de fevereiro de 2016
meu-filho-esta-com-anemia

imagem de: pixabay.com

A anemia é muito comum durante a infância e, quando não tratada devidamente, pode prejudicar o desenvolvimento físico e mental da criança. Os pais devem ficar atentos para identificá-la a tempo, além de seguir as orientações do pediatra para combater e evitar o retorno da doença.

Informe-se sobre a anemia 

Se o seu filho está com anemia, obtenha a maior quantidade de informação possível para investir em cuidados eficazes. O problema ocorre quando há a queda de hemoglobina, componente presente no sangue e responsável pela sua coloração avermelhada. As suas principais funções são transporte de oxigênio para todo organismo e geração de energia para as atividades diárias.

A presença em quantidade inadequada de ferro no organismo é a principal causa da queda de hemoglobina durante a infância. Isso ocorre porque o mineral é responsável pela formação desse componente.

Como saber se o seu filho está com anemia? 

Os principais sintomas de anemia devido à deficiência de ferro são palidez, fadiga, fraqueza, sono excessivo e falta de atenção. Por isso, se você identificar que seu filho anda muito quieto, sem disposição para brincar e ainda com problemas de aprendizado na escola são sinais de alerta.

No entanto, somente o exame clínico poderá identificar o que está acontecendo com o pequeno. Siga corretamente o cronograma de consultas com o pediatra que acompanha seu filho para que seja indicada a realização de um hemograma e outros testes que constatem o diagnóstico.

Não se desespere 

Se os resultados os exames comprovaram que seu filho está com anemia, não se desespere. O tratamento é relativamente simples e garante uma recuperação rápida. Geralmente, o pediatra prescreve suplementação de ferro na quantidade adequada para o caso. Siga todas as orientações que ele propor e não deixe de continuar levando o seu pequeno para monitorar a doença e evitar seu retorno.

Cuide da alimentação da criança 

A carência de ferro durante a infância ocorre principalmente devido à alta demanda por parte do organismo, que precisa mais desse mineral devido ao rápido crescimento. Muitas vezes, a ingestão é inadequada ou ocorrem perdas devido à problemas gastrointestinais, como alergias à proteínas, parasitoses, refluxos e outros comuns nessa faixa etária.

Até os seis meses de idade, os bebês devem receber exclusivamente com o leite materno, que garante a dose adequada de ferro ao organismo. Quando começarem a receber alimentos sólidos, as carnes devem estar presentes no cardápio, principalmente a vermelha, que são as principais fontes do mineral.

Leguminosas, como feijão e lentilha, assim como as verduras verdes-escuras também são ricas em ferro, mas em quantidades menores. Para garantir uma absorção maior do mineral, ofereça esses alimentos sucos de frutas ricas em vitamina C, como laranja, morango e kiwi. Por outro lado, nunca sirva-os com leite e derivados, que prejudicam essa digestão.

Nada de seguir aquela velha orientação de cozinhar o feijão com prego, porque esse objeto além de não conter a quantidade necessária de ferro, ainda pode liberar substâncias que causam intoxicação alimentar.

Peça orientações ao médico do seu filho se tiver dúvidas sobre o que deve incluir ou não no cardápio do pequeno!